Um dia emocionante de voluntária e a paixão nikkei

O texto da blogagem coletiva de Samatha Shiraishi, por conta do Dia Internacional do Voluntário, em 05/12, que descobri no último sábado, me inspirou e me faz sentir contente em relembrar uma ação voluntária recente minha e de meu marido, Fernando. A ida à Fundação Casa de Franco da Rocha para ministrar uma palestra sobre tênis de mesa, em 26 de setembro.

Um dia de tênis de mesa na Fundação Casa

Karin Midori, professora de Educação Física, entrou em contato comigo e me passou todos os detalhes: seriam 84 internos, de 14 a 18 anos, queria que contasse minha experiência de mesa-tenista na época da seleção, interagisse com eles, etc.

Nós e os monitores da Fundação Casa

Fundação Casa é a antiga Febem. Por isso, ao ouvir a palavra Franco da Rocha, vinha na mente algumas rebeliões. Mas nada disso me afetava, e sim, o que me deixava ansiosa era se aqueles 84 meninos iriam prestar atenção em nossa palestra.
A viagem foi grande até o local, estrada de terra, o local é bem afastado da cidade. A chegada na Fundação requer várias checagens. Por medida de segurança, celular e máquina não entram. Só levamos o essencial: material de tênis de mesa.
Como disse nesse post, passamos momentos muito emocionantes. Contei minha experiência no esporte, os estágios no Japão e na China, as diversas viagens ao exterior para torneios, treinos rigorosos, como foi jogar pela seleção. E posso dizer com orgulho, lembrando do olhar deles, que aqueles meninos de cabelo raspado, bermuda, camiseta e chinelo estavam mesmo prestando atenção. Pois, no final, vários vieram perto de mim, me chamando de “senhora”, para perguntar se falava japonês e chinês, e que dissesse algumas palavras para eles.
Para interagir, fizemos o desafio de saques. A fila era enorme e os meninos entravam várias vezes nela para tentar pegar o saques do Fernando. Dois deles conseguiram, distribuímos prêmios e nos divertimos muito.
Foi um dia muito emocionante. Não imaginávamos o quanto essa ação voluntária seria marcante para nossas vidas.

Paixão nikkei

Outra ação voluntária recente em minha vida é a atualização das mídias sociais (Facebook e Twitter) da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e Assistência Social – Bunkyo.

Meu contato com a comunidade começou muito cedo, aos 6 anos, quando comecei a jogar tênis de mesa. Aos 13, comecei a minha saga pela seleção brasileira, até os 21 anos. Exatamente, aos 21, entrei na faculdade de Jornalismo. A descoberta e paixão pelo mundo nikkei ocorreu mesmo em 2002, em meu primeiro estágio no Jornal São Paulo Shimbun. Dois anos depois, trabalhei no Jornal Nippo-Brasil, e foram quase cinco anos de aprendizado sobre a comunidade nipo-brasileira.
Quando iniciei a busca por um sonho, de trabalhar com mídias sociais, recebi o convite de integrar a Comissão de Comunicação do Bunkyo e, desde setembro, atualizo as redes sociais da entidade.
A oportunidade de continuar o contato com as minhas raízes, além de fazer parte de uma equipe nota 10, me motiva diariamente a ser uma profissional melhor em minha área.
Para finalizar, gostaria de deixar registrado o que significa hoje ser voluntária:

SER VOLUNTÁRIA É REALIZAR AS VONTADES DE SUA ALMA PARA QUE TENHA O MELHOR SUCESSO DESSA VIDA: SER FELIZ! :)

*Muito obrigada, Samantha, por essa oportunidade de escrever algo tão bonito. Admiro muito o seu trabalho.

Sandra Huang conta sua história

Margareth Huang e Sandra

Margareth e Sandra Huang

Quando conheci a estilista e minha grande cliente nas mídias sociais, Sandra Huang, por meio de Joana Okoshi (autora do livro “Em Sintonia com a Vida”), no início de julho, não imaginava quantas histórias essa linda chinesa guardava.

Em um dia de bate-papo, que durou muitas horas, descobri os diversos lados da vida cheia de desafios de Sandra.

Uma delas, a mais difícil, ela contou de uma maneira tão suave que não dava para imaginar que ela tinha passado por isso. Somente com o post abaixo, no blog dela que administro, ela escreveu mais detalhes.

Confira

Sandra pintando no hospital

Sandra pintando no hospital

Sempre… Sempre é uma história… Talvez por isto eu sempre hesitei em escrever/falar sobre o assunto! Por que as outras doenças também não “rendem” uma história? Existem tantas tão fatais quanto, mas o câncer carrega este estigma da morte, ou “a luta pela vida”!! Mas nunca me senti uma heroína nesta batalha! Heroína para mim é a mulher com seis filhos para criar e sem emprego! Esta, sim, luta arduamente pela sobrevivência! Quando me diziam… Tão jovem, tão bonita… Com câncer… Ué, não entendi. Por quê?! Se eu fosse velha e feia, tudo bem, então? A “perda/pena” já não seria tanta?

Aprendizados da vida 

Como agora eu e o Reynaldo Gianecchini temos algo em comum, além da beleza (é humor negro, sim, a vida também tem seu lado engraçado mesmo nas dificuldades, viu, gente?), resolvi falar um pouco sobre o assunto! Mas, antes, passo a palavra ao trecho do blog Força na Peruca, de Márcia Cabrita: “Eu fiquei gravemente doente. Ao contrário do que muitos fantasiam, não tirei de letra. A cobrança de positividade acabou se tornando um problema. Acho um saco quando dizem: ‘Fulano perdeu a batalha contra o câncer’, ‘Fulana tem tanta vontade e alegria de viver que foi salva’ ou ‘O amor por meus filhos me salvou’. Me parece tremendamente injusto. Quer dizer que quem morre não amava a vida? O amor pelos filhos não era grande o suficiente? A fé foi pouca? Ninguém diz que alguém perdeu a batalha para o enfarte, nem que amava tanto a vida que ficou bom da tuberculose”.

Faço destas minhas palavras. É isso aí, Márcia!! Colega (de câncer)!!rsrs

Tenho linfoma não-Hodgking há mais de 10 anos, com direito ao kit completo: quimioterapia, radioterapia, perda de cabelo, vômitos, etc. E, em 2008, um transplante autólogo de medula (detalhe: provavelmente não-curativo)! Viver com esta faca apontada não é mole!

Dizem que uma imagem fala mais que mil palavras. Então, não vou me estender. O recado está claro, não? É o tal do “copo meio cheio”.

Superação

Claarooo que não foi fácil. Eu achava que ia desidratar de tanto chorar. Dormir, então, só à base de remédios. Mas como diz o ditado popular (todos são de uma verdade absoluta!) “a vida segue”, “depois de hoje vai ter o amanhã” (ainda que não estejamos aqui para ver).

Cada caso é um caso, cada pessoa é uma pessoa, mas a receita não muda. Tentar fazer coisas que gostem, se ocupar, aproveitar para repensar a vida, poder após de tudo se dar ao direito de reinventar uma nova forma de levar a vida, repensar os valores. O que é que realmente te faz feliz?  Será que você sabe? É claro que provavelmente não sabe! Pensa que sabe! Esta é uma “boa” hora para descobrir!!

O pior que pode te acontecer não é o câncer. É você se sentir vítima dele! Apesar que, putz, ele  sequestra a tua vida, e pede às vezes de resgate a própria (estão vendo por que nunca aceitei dar depoimentos?). Nem todo mundo quer ouvir a verdade. Mas ninguém morre de vésperas e  a doença vai te dar um presente! Um par de óculos para você enxergar a vida diferente! Claro, claro, você pode jogá-los fora. O livre-arbítrio não é lenda não!

Eu tive tantas histórias engraçadas/felizes no decorrer do tratamento, que não daria para contá-las aqui. Cuidado para que as lágrimas não te impeçam de enxergar as tuas. Também não fique se cobrando para ser “forte”! Chore tudo o que tiver direito, berre, se revolte, seja paparicado, mande trazerem mais chocolates, mas, depois, chega, né? Vá se reinventar! E olha que não é a todo mundo que este privilégio/benção é dado! É difícil enxergar as bençãos da vida quando elas chegam disfarçadas de desgraças, né? ;)

- Conheça melhor a estilista Sandra Huang

Aula da E-Commerce Girl e as mídias sociais

Blog de Solange Oliveira, a E-Commerce Girl

Hoje tive a felicidade de conhecer a professora Solange Oliveira, a E-Commerce Girl, na aula de blogs da Ecommerce School. Fiquei fã do trabalho dessa blogueira super divertida e cheia de cases.

Aproveito e deixo uma matéria que a Solange postou no blog dela: “Segundo Gartner – Estamos ‘Cansando’ Das Mídias Digitais”.

Fonte: TI Inside e E-Commerce Girl

Os índices de rejeição às mídias sociais devem ser monitorados de perto pelas empresas do segmento, aconselhou o Gartner com um estudo sobre a aceitação dos sites de relacionamento pelo público. A pesquisa ouviu mais de 6 mil pessoas em onze países.

Dentre os entrevistados, 24% usam seus sites favoritos de mídia social com menor frequência na comparação com o início do uso da ferramenta. De acordo com o Gartner, estas pessoas são aquelas com visão mais prática da tecnologia. Já 37% dos respodentes, especialmente os mais jovens e experientes com a tecnologia, costumam usar as mídias sociais ainda mais após a primeira utilização. Outro dado aponta que 31% do jovens com maior consciência sobre tecnologia estão ficando entendiados com os sites de relacionamento.

“Isso já é um motivo para monitoramento”, esclareceu o diretor de pesquisas do Gartner, Brian Blau.

Dentre os motivos que motivam a saída das redes sociais não há uma tendência principal, porém, a preocupação sobre a privacidade on-line chamou atenção e foi mencionada por 33% dos entrevistados, em especial entre faixas etárias mais elevadas.

Do ponto de vista geográfico, em mercados mais maduros de tecnologia vê-se um maior uso das mídias sociais. Em países como Japão, Reino Unido e Estados Unidos, 40% dos entrevistados disseram usar mais os sites, em contraste com 20% que afirmam acessá-los com menor frequência. Em países como Coreia do Sul e Itália, os usuários apresentaram um entusiasmo ainda maior – 50% dos entrevistados disseram utilizar os sites ainda mais. O Brasil está no grupo dos menos empolgados com mídias sociais, ao lado da Rússia, com índices de 30% a 40% de rejeição das redes.


Parceria com Sandra Huang completa 1 mês!

O blog sandrahuang.com.br completou 1 mês de vida em 4 de agosto!  Foi o início do meu trabalho com  gestão de conteúdo em mídias sociais com a talentosa estilista e artista plástica Sandra Huang. Fizemos o blog, comecei a atualizar a página do Facebook Ateliê Sandra Huang  e o Twitter @sandrahuang_. Tem também o Flickr e o Fourquare. E aproveito para deixar registrado que essa parceria já rendeu muitos frutos, além do virtual.

Em 1 mês, o ateliê recebeu visitas muitos especiais… Passaram por lá a mãe da estilista, Margareth Huang, as advogadas Isabel e Walerye Yasuda, a modelo Karen Nascimento, a comerciante Satomi Choshi, as jornalistas Flávia Arakaki, Aline Sampaio e Cíntia Yamashiro, a cafeinada Renata Bittencourt, entre outras pessoas queridas.

No dia 4, o ateliê teve a primeira sessão de fotos e, enfim, o site terá imagens da fotógrafa Érika Hobo!;)

No dia 5, 1 mês e 1 dia após um de nossos primeiros contatos, temos uma grande conquista! Sandra Huang recebeu a jornalista Tamires Ales, da revista Mundo OK, em seu ateliê. A matéria sairá em setembro.

Estou muito feliz!!!;) Obrigada, Sandra, por essa parceria!

Feras na Expo Y

Como é bom receber uma resposta de quem você é fã!;) Aproveitei a presença da@rosana (Rosana Hermann), autora do livro "Um passarinho me contou - relatos de uma viciada em Twitter", na Expo Y  hoje para enviar alguns tweets

Começou ontem a #Expo Y, no Pavilhão Bienal, em São Paulo. Confira algumas das palestras interessantes que assisti:

Rosana Hermann - Ruídos nas mídias sociais.

Edney Souza -  Blog Profissional.

Estevão Soares - Relacionamento Y com as marcas.

Lomadee - Dicas para monetizar suas redes sociais.

Soap –  Como fazer boas apresentações.

Israel Degasperi - Como gerenciar crises online.

*Cris Dias – Formadores de opinião (hoje, dia 20/07,  estou trabalhando e não vou ao evento. A palestra do Cris será às 17h. Acompanharei pelo Twitter #ExpoY)

Informações em: http://resultson.com.br/eventos/expo-y-festival-de-cultura-de-negocios-y/.