Saiu a matéria sobre o dia de tênis de mesa no site da antiga Febem: Atleta faz palestra no CASA Rio Negro!;)

Que bacana ver a matéria sobre nossa palestra de tênis de mesa no site da Fundação CASA!!! Fiz questão de ir com a camiseta da Prefeitura que defendo esse ano: São José do Rio Preto.;)

 Confira o post com mais detalhes sobre esse dia inesquecível de minha vida.

 

 

 

Um dia de tênis de mesa na Fundação CASA de Franco da Rocha

Link sobre esportes no site da Fundação CASA

Quando recebi o convite para dar uma palestra de tênis de mesa na Fundação CASA de Franco da Rocha, a maior ansiedade foi com a minha apresentação. Meu marido, Fernando, que também aceitou esse desafio, deixou em minhas mãos essa tarefa.
Ontem, dia 26, estava uma pilha de nervos. Minha inquietude era saber se aqueles 84 internos teriam interesse mesmo em saber mais sobre tênis de mesa.

 

Dia D
Ida: 1h10 até chegar ao local. Ao chegar, quis saber tudo sobre o dia a dia de Karin, professora de educação física que nos convidou a participar da palestra na Unidade de Internação 25 Rio Negro, unidade da Fundação CASA em Franco da Rocha.
A entrada dos meninos para o espaço de tênis de mesa parecia cena de um filme. Em filas, eles entravam em pequenos grupos. Todos eles de cabeça raspada e uniforme (blusa, bermuda/calça e chinelo azul).
Juntos com diversos professores e coordenadores, os cerca de 84 meninos surpreenderam nossas expectativas. Iniciamos nossa palestra, que aconteceu com muito respeito e carinho por parte de todos.
A interação com eles ocorreu no desafio do saques. Não dava para acreditar na fila para pegar o saques do Fernando. Premiamos quem conseguisse pegar 2 de 5 saques com brindes da Butterfly.
Comentei sobre minha experiência de morar dois meses na China e três meses no Japão, logo no início da palestra. Ao término do encontro, uns 4 meninos vieram: “Senhora, você fala muitas línguas? Quais? Fala chinês? Fala uma palavra para a gente? E japonês?”. Custei a lembrar de uma palavra em japonês. Só veio “itadakimasu” (expressão utilizada antes das refeições e demonstra gratidão). Em chinês, disse “ni hao ma” (tudo bem?). Depois, um outro menino sozinho me pegou de surpresa. “Senhora, me diz algo em japonês”. Respondi: “Anata wa kirei desu” (deixo essa frase para vocês pesquisarem).rs
No final, algo inusitado: uma foto em conjunto com os internos na quadra e a diretora Oscarina Moreira Rodrigues. E depois vários vieram agradecer com um aperto de mão pela palestra.

 

Balanço
Ao sair da Fundação CASA de Franco da Rocha, eu e meu marido estávamos com um grande sorriso no rosto. Da minha parte, posso dizer que essa experiência me deixou uma pessoa mais humana.

 

*É proibido entrar com celular ou máquina fotográfica no local. Por isso, aguardo as fotos e depois posto por aqui.