Curso Comunicação em Redes Sociais, da Tracto, com Cassio Politi e André Rosa

Curso da Tracto

Curso da Tracto

Fiz minha inscrição no curso Comunicação em Redes Sociais, da Tracto, com Cassio Politi e André Rosa, que consiste na implantação das melhores práticas de comunicação nas principais redes sociais, sejam elas privadas ou públicas.

Segundo a Tracto, o grande diferencial é o fato de ser realizado na modalidade Mentoring. São apenas oito alunos em sala de aula. Antes da primeira aula, cada aluno informa sua necessidade relacionada a mídias sociais, principalmente Facebook e Twitter. Essa necessidade pode ser, por exemplo, a implantação de sua marca nas redes sociais, a melhoria das contas existentes, a adoção de métricas ou qualquer outra ação necessária dentro da social media.

 

Curso Planejamento para Social Media, de Estêvão Soares, da Estrategi.ca

Curso Planejamento para Social Media de Estêvao Soares

Fiz o curso online de Planejamento para Social Media, com Estêvão Soares, da Estrategi.ca.

Estrategi.ca

Estrategi.ca

Foram 3 horas de muito aprendizado e de repensar as estratégias de mídias sociais. Abaixo, uma pequena demonstração do aprendizado sobre métricas, uma área complexa e que exige muito investimento.

metricas_socialmedia2012

Não vejo a hora de poder fazer outro curso do Estêvão Soares, que é um dos profissionais de social media que mais admiro no Brasil.

Marketing, Philip Kotler e mídias sociais

Esse post mostra a importância das mídias sociais para as estratégias de sua empresa! Confira!

Como as redes sociais influenciam nas estratégias de marketing? Veja o que o Philip Kotler, a maior autoridade em Marketing do mundo, tem a dizer sobre isso. A entrevista foi concedida durante a Special Class, realizada na HSM Educação, em 19 de junho de 2012, onde Kotler ministrou uma aula especial para alunos de MBA e EDP.

Depois de um depoimento desse, você ainda pretende deixar de lado as mídias sociais? ;)

Portal Universo Smart: Os jornalistas e os smartphones

Kelly Nagaoka

Tive a oportunidade de contar um pouco do meu trabalho intenso por meio do celular à sessão Por Dentro, do portal Universo Smart. Confira!

Os Jornalistas e os smartphones

Hoje, os jornalistas devem ser multimídia e se adequar aos diferentes veículos – seja televisão, rádio, portais de notícias, redes sociais ou jornal impresso. E os smartphones, com suas várias funções e aplicativos, têm ajudado muito esses profissionais em suas funções.

O jornalista Pedro Loureiro de Bragança utiliza seu smartphone para se organizar. “Eu uso diariamente o calendário para organizar meus compromissos. Além disso, utilizo os Apps de redes sociais para TwitterFacebookInstagram e Foursquare. Leio conteúdos das redes sociais e dos meus feeds RSS no Flipboard e organizo os artigos que quero ler posteriormente no Pocket. Uso bastante a câmera fotográfica e filmadora, além do gravador de áudio do telefone. E para minhas anotações uso o indispensável Evernote, que sincroniza meus documentos. Também uso bastante o Dropbox para portabilidade de arquivos”, relata.
Já a jornalista Larissa Moutinho também vê nos smartphones uma boa ferramenta para se organizar. “O App que mais utilizo é a agenda – tanto telefônica quanto de compromissos. No mais, costumo usar o gravador em ocasiões em que meu gravador falha”, expõe.
Kelly Nagaoka, jornalista que trabalha com estratégias, produção e gestão de conteúdo em mídias sociais, não abre mão de utilizar ferramentas de redes sociais. “Uso o Facebook, Twitter, Instagram, Skype e Google. Como trabalho com isso, utilizo sempre que estou fora de casa. Quando vou visitar um cliente meu de Mogi das Cruzes, fotografo bastante. Aproveito também para usar o Instagram para fazer uma foto diferenciada ou para uma atualização no Facebook e Twitter. Em casa, usei algumas vezes o Skype. O aplicativo de pesquisa Google é útil para as dúvidas rápidas que surgem”, revela.

Salvos pelo smartphone

Os smartphones podem ser uma boa saída quando os grandes companheiros dos jornalistas (câmeras, gravadores e bloquinhos) falham ou até mesmo para substituir todos esses aparatos de uma vez. Larissa, por exemplo, já utilizou o smartphone para gravar entrevistas em ocasiões em que a pilha do gravador acabou ou em que a entrevista surgiu de surpresa.
Kelly, por sua vez, também já foi salva pelo aparelho. “smartphone já me salvou em uma reunião onde estava sem bloquinho. Em outra cliente, usei muito meu smartphone para fotografar as roupas e acessórios”, conta.
Bragança já dispensou a caneta e o bloquinho, substituindo-os pelo smartphone.“Digito rápido, então uso o aplicativo de notas ou o Evernote. E o gravador que uso é o dosmartphone mesmo, pois tenho um microfone que posso acoplar no dispositivo e fazer entrevistas confortavelmente”, explica.

Aplicativos de notícias

Para os jornalistas, os smartphones exercem outra importante função – a de se informar. Bragança cita os Apps preferidos para ler as notícias: “O Flipboard é meu aplicativo favorito para ver notícias, porque agrega conteúdos das redes sociais e de meus feeds RSS (Google Reader), além de sites de notícias. Dos poucos aplicativos de notícia que uso, gosto muito do iG Futebol que tem tabelas, calendários e minuto a minuto de todos os campeonatos nacionais do Brasil, alguns estaduais, europeus e muitas notícias (Tem até a série C, onde meu Paysandu joga). Não uso muitos porque a maioria é cheia de bugs e são bastante limitados. Prefiro acessar os sites mesmo”.
Já Kelly indica o App MobileRSS. “Conheci recentemente esse aplicativo para leitura de notícias e gostei”.

*Agradeço o Pedro Bragança, pois achei a matéria no blog dele, pelo Google, sem querer.  :)